Pages

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Manifesto contra a mentira

Hoje é o dia da mentira. Todo mundo sabe. Mas se tem um dia que me incomoda é esse. Geralmente, dias assim são feitos em homenagem a alguém ou algo. O que me parece é que esse é um dia de homenagem à mentira. E até parece um culto à mentira mesmo, quando as pessoas mentem umas para as outras hoje e dizem que é dia da mentira. Se é dia da mentira, vamos mentir, é o que dizem.

Mas será que faríamos homenagens a algo que contamina as relações humanas, destruindo famílias, plantando corrupção nos governos, enfim, mostrando até que ponto a pecaminosidade do homem pode chegar? Pois é isso o que a mentira faz, e o pior é que deram um dia pra ela.

Está na moda defender a mentira. Quanto estava no colégio, uma professora leu, toda orgulhosa, a redação de um aluno. No texto, ele defendia a mentira, mas só as “mentiras brancas”. Lembro de eu ter sido contra as ideias do texto e de ter sido censurado por isso.

Além disso, ainda há esse mundo pós-moderno dizendo que não existe verdade, e sim “verdades”. Nietzche, filósofo alemão e um dos pais do pós-modernismo, disse que tudo que havia no mundo eram metáforas. Aquelas que nos confortavam e que eram faladas muitas vezes chamávamos de verdade.

O que eu sei é que ninguém gostaria de um cônjuge, ou de um filho, ou de pais, ou de um amigo, ou de um governante, que falasse “verdades” no lugar da verdade.

Deus já falava do problema da mentira há muito tempo na Sua Palavra:

“Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.” (Ex 5.20)

“Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.” (Ap 21.8)

Quanto ao diabo, Cristo falou:
“Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. Mas, porque eu digo a verdade, não me credes.” (Jo 8.44,45)

Abaixo a mentira, todas elas (brancas, cinzas, azuis, amarelas, verdes etc.) e defendo que, no lugar do dia da mentira, deveria haver o dia da verdade.

Em Cristo e, portanto, em verdade,

Felipe Prestes

Um comentário:

karla disse...

É triste sabermos que vivemos em um mundo onde a mentira chega a ser defendida. Poucos hoje acreditam que é possível viver sem esse vício que serve apenas para destruir as relações.
Gostei da ideia da criação de um manifesto contra esse mal :)
Que Cristo continue abençoando este blog.