Pages

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Faça o presente!


É incrível a dificuldade que nós, humanos, temos de nos colocar no nosso devido lugar. Isso acontece até com relação ao tempo. Deixe-me explicar. Há um grande número de pessoas que fogem do presente. Dentre esses, há os que se apegam ao passado. Esses são chamados de saudosistas. Estão sempre rememorando momentos e dizendo “Como era bom naquele tempo!” Para eles, o passado é sempre melhor do que o presente. Frustram-se por não conseguirem voltar no tempo e viver aquela época que não volta mais.

Há também os que vivem com os olhos na frente. Pensando sempre no futuro, nos planos, nos sonhos, vivem em função desses projetos. Dizem sempre que no futuro será melhor, no futuro haverá isso, haverá aquilo. Antecipam bens que ainda não têm, empregos nos quais ainda não foram admitidos e até casamentos que ainda não tiveram. Esses estão sujeitos a não perceberem o futuro chegando. O tempo vai passando, e eles podem se decepcionar ao chegarem ao tempo que tanto esperavam e não terem aquilo que queriam.

Como tudo que Deus faz é perfeito, o tempo também não poderia ser diferente. Nossa relação com esse tempo foi muito bem projetada por Ele. Quanto ao passado, só podemos lembrar dele. Não podemos mudá-lo, nem voltar a ele como muitos iriam querer. Com relação ao futuro, não temos acesso a ele. Na verdade, nem sabemos se chegaremos a ele. Nós é que temos tola ilusão de que temos controle sobre a nossa vida. Triste engano. Quantas e quantas vezes no dia usamos a palavra “imprevisto”? O próprio Senhor Jesus foi quem disse: “Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?” (Mt 6.27)

Não se dá pra mexer no passado, assim como não podemos ver o futuro. O que resta em nossas mãos é este tempo presente no qual estamos neste exato momento. É no hoje em que nos movemos, em que pensamos e em que podemos fazer decisões, que poderão ser resultados de lições do passado e também tentativas de chegar a um futuro melhor. Em outras palavras, o presente é o que podemos fazer. Portanto, chega de olhar o ontem e de ansiar pelo amanhã. É o hoje que temos para usar. Obviamente, usar para o nosso o Senhor do tempo.

“O presente que o homem faz alarga-lhe o caminho e leva-o perante os grandes.” (Pv 18.16)

Em Cristo,

Felipe Prestes

2 comentários:

Débora disse...

Essa postagem me fez lembra um pouco do que Agostinho fala sobre o tempo. Agostinho vê no Tempo uma marca da impotência humana, da miséria do ser racional diante do infinito poder do nosso Deus Supremo.
"Que é, pois, o tempo? Quem poderá explicá-lo claro e brevemente? [...] e que modo existem aqueles dois tempos – o passado e o futuro – se o passado já não existe e o futuro ainda não veio? Quanto ao presente, se fosse sempre presente, e não passasse para o pretérito, como poderíamos afirmar que ele existe, se a causa da sua existência é a mesma pela qual deixará de existir?"
O que Agostinho fala com relação ao tempo pode nao ter uma relaçao direta com o propósito imediato da mensagem no blog, mas ao ver me remeti a lembrança do que li a respeito. vale realmente a pena ler o que o nosso grande filosofo trata a respeito.

Bjo amor!!!

* disse...

Parabéns, Felipe, por esse texto prático e real! Seu blog está muito bem estruturado, e aproveito para lhe dar uma sugestão! Dê uma olhada no meu blog. Bem abaixo, você verá uma sessão chamada "Where do you come from?". Vi num blog, gostei e coloquei no meu. É bem interessante pois dá para se ver de onde vêm os acessos.

Abraços,
Karen
--
http://dicasdakaren.blogspot.com/