Pages

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009


Só mais um versículo e...

Existem certas indagações que talvez te incomodem ou já tenham te incomodado um dia. Por que Deus não escreveu apenas mais algumas linhas nas Escrituras para que todas as nossas dúvidas teológicas fossem respondidas? Por que Deus se omitiu em alguns pontos? Por que Ele não decifrou os assuntos nevrálgicos que tanto causam divergências entre as denominações cristãs? Por que não, uma só instrução a mais que permitisse definirmos de um modo indiscutível os estilos de músicas que devem ser tocadas no culto?

Por que Deus não escreveu apenas mais uma palavra que permitisse de forma clara e objetiva que descobríssemos, por exemplo, quem foi o autor do livro de Hebreus e como Satanás se tornou mau?

Estas e outras perguntas sempre incomodaram aqueles que desejam conhecer as Escrituras de uma forma mais profunda. O fato é que não podemos contar com tais acréscimos que gostaríamos, mas por que ocultar tais fatos? Por que Deus não substituiu apenas algumas linhas de genealogias já que quase ninguém gosta mesmo e inseriu tais respostas.

Minha reposta é dupla: A primeira é bem óbvia, mas nem por isso, significa que as mentes mais inquietas e questionadoras aceitem. A resposta é: Deus não quis. É exatamente isso, Ele deixou algumas lacunas em branco. Ele é Deus e tem direito de revelar o que lhe aprouver, Ele sabe o que é melhor para seus filhos, deixou certa margem para que aprendêssemos a exercer amor pelo próximo, respeito por pontos de vista que não fossem o nosso, logicamente, desde que tais pontos de vista não confrontem nenhuma das passagens normativas das Escrituras.

Ainda pensando na soberania de Deus, podemos concluir que tal privação de informação teve o objetivo de mostrar ao homem sua pequenez. Exatamente isso, para que sejamos colocados nos nossos devidos lugares, reconhecendo que só Deus é onisciente e que este é um atributo incomunicável de Deus, ou seja, só pertence a Ele.

A outra resposta está relacionada com a questão de importância. Deus resolveu não revelar alguns pontos por que os achou dispensáveis. Não que os assuntos fossem irrelevantes, mas que, diante de infinitas informações possíveis, Deus revelou só o essencial, a cartilha com todas as informações necessárias à finita mente humana.

No que concerne as coisas de Deus, o homem já tem em suas mãos tudo o que precisa. Ele tem todas as questões possíveis acerca do céu e inferno (Soteriologia), tem as questões concernentes a maldade da humanidade (Hamartiologia), tem as respostas a respeito das questões humanas (Antropologia) e etc... Além de tais informações a bíblia ainda fala da esperança diante da morte, sobre justiças e injustiças, sobre como encarar sofrimentos como o câncer, um atropelamento, desemprego e etc...

O maior problema do homem é que ao invés de se ater as verdades importantes, quer percorrer caminhos que não lhe dizem respeito. Que possamos aprender a seguinte lição: Temos na bíblia o estritamente necessário para a nossa sobrevivência. Não precisamos de mais nenhuma informação adicional, somente das verdades escriturísticas já reveladas.

2 comentários:

Felipe Prestes disse...

Grande Carlão,

É impressionante realmente a necessidade que muitos têm de procurar o que não lhes cabe. Falam muitas vezes que a Bíblia não tem as respostas que procuram. Penso que se a Bíblia trouxesse essa tal informação, procurariam outra e outra.
Muito pertinente dizer que a Bíblia tem o que é necessário para a nossa sobrevivência.
Portanto, quem não busca a Palavra de Deus nem sobrevive, mas agoniza espiritualmente.
De fato, não precisamos de só mais um versículo. Precisamos mesmo é de mais leitura e estudo do que nos foi revelado.

Em Cristo,

karla disse...

"As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei."Dt 29:29

Acredito que tudo que Deus não nos revelou, foi para que a nossa fé fosse exercitada a cada momento.
Ele é soberano e sabe o próposito de cada coisa. O ideal é procurarmos não nos deter a esses questionamentos e, pela fé e obediência, aplicarmos o que está revelado em sua Palavra.

Gostei muito do trecho: "Ele sabe o que é melhor para seus filhos, deixou certa margem para que aprendêssemos a exercer amor pelo próximo, respeito por pontos de vista que não fossem o nosso, logicamente, desde que tais pontos de vista não confrontem nenhuma das passagens normativas das Escrituras".

Acho que é por aí...

Que Cristo possa continuar capacitando-os a enxergá-Lo com lentes verdadeiramente espirituais e fiéis a Ele.

Um abraço :)